Fiat diz que não terá novos modelos até terminar a fábrica em PE

A Fiat decidiu que não lançará novos modelos no Brasil enquanto não concluir a fábrica de Pernambuco, a segunda da montadora no país. “Enquanto a fábrica de Goiana não estiver pronta, e estamos falando de 2015, a prioridade é manter a liderança com os carros que a gente já tem e terminar os investimentos na fábrica”, disse Ricardo Dilser, assessor técnico da Fiat, no Salão de Buenos Aires, que começou nesta quarta-feira (19) para a imprensa.

Fiat Panda 4x4 (Foto: Rodrigo Mora/G1)Fiat Panda 4×4, ‘primo’ do Uno, também está
no salão argentino (Foto: Rodrigo Mora/G1)

Na feira, a montadora italiana destaca a versão alongada do compacto 500, chamada 500L, que será lançada lá e, segundo Dilser, não está prevista para o Brasil, assim como o compacto Panda 4×4, “primo” do Uno, e a versão da preparadora Abarth para o Cinquecento, também destacados na Argentina.

Mas a marca promete, no entanto, que continuará atualizando a linha existente, com reestilizações e novidades mecânicas – caso do Freemont com câmbio de seis marchas e o 500 com motor Multiair flex, que chegam no inicio deste semestre.

O Brasil é um dos maiores mercados para a Fiat, que é líder em vendas de carros no país, com 22,5% de participação no mercado nos cinco primeiros meses do ano contra 19,1% da Volkswagen e 17,7% da Chevrolet. Os dados são da Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores (Fenabrave).

O SUV Freemont, lançado em 2011, foi o último modelo a entrar no portfólio da marca no Brasil. Depois disso, ela renovou modelos como Palio, Siena, desdobrado no Grand Siena, e Punto.

Duas plataformas em PE
A montadora tem uma fábrica em Betim (MG), o maior do grupo Fiat Chrysler no mundo, que está tendo sua capacidade ampliada de 800 mil para 950 mil veículos por ano.. A construção da planta em Pernambuco começou em setembro passado e deverá ser concluída no ano que vem, com início da produção em 2015.

O local deverá abrigar duas plataformas distintas, para dois modelos, que deverão gerar famílias de carros. Por exemplo, a atual plataforma do Palio dá origem a uma família que tem, além do hatch, a perua Palio Weekend, a picape Strada e o sedã Siena EL.

O investimento no complexo será de R$ 4,5 bilhões, incluindo as fábricas de veículos e uma de motores. O restante deverá ser utilizado no “desenvolvimento de produtos”, afirmou a Fiat. A montadora conseguiu financiamento de R$ 5,3 bilhões para o projeto junto à Superintendência do Desenvolvimento do Nordeste (Sudene), o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Banco de Desenvolvimento do Nordeste (BNB).

Deixe aqui seu comentário

comentários

Parceiros