Agile e Clio, vendidos no Brasil, levam zero em proteção para adultos

O Latin NCap, braço para a América Latina da organização europeia que promove testes independentes de segurança com carros ao redor do mundo, divulgou nesta quarta-feira (24), no México, os resultados da fase 4 de testes de colisão.

Desta vez, a entidade priorizou carros fabricados e vendidos no México. No entanto, entraram o Chevrolet Agile e o Renault Clio, vendidos no Brasil. Foram avaliados, ao todo, 6 modelos, 4 sem airbags.

Agile (veja o teste no vídeo acima), fabricado na Argentina, é vendido no Brasil com airbag duplo de série – que será obrigatório por lei no país para todos os carros novos, a partir do ano que vem. A unidade avaliada pelo NCap não tinha airbags, e ficou sem estrelas na categoria proteção para adultos. Levou duas na de crianças. O número máximo é de cinco estrelas.

A entidade destacou não só a ausência de airbags, como a deformação do carro em uma colisão, como fatores que colocam em risco os passageiros por lesões na região da cabeça, pescoço e ombros, o que é considerado grave. O Agile é feito na Argentina, mas seu projeto foi totalmente desenvolvido no Brasil.

Clio
O Renault Clio, fabricado na Argentina, também recebeu nota zero pelo mesmo motivo(Correção: ao ser publicada, esta reportagem informava que o Clio vendido no Brasil era produzido no país, mas as unidades vendidas no mercado brasileiro também são feitas na Argentina e iguais à testada. A informação foi corrigida às 16h35).

A unidade avaliada, chamada de Clio Mio porque este é o nome adotado na Argentina, foi testada sem airbags e obteve um resultado ainda pior do que o do Agile: zero estrela para proteção de adultos e apenas uma estrela para a segurança de criança. No Brasil, o Clio também é vendido sem airbags.

Mais uma vez, o NCap destacou problemas de deformação do carro na batida. A estrutura do habitáculo do Clio Mio foi qualificada de instável. “As forças sofridas pelas cabeças dos dummies (bonecos) foram inaceitavelmente altas”, diz o comunicado da organização.

Ambos os modelos apresentaram baixa compatibilidade para fixação de cadeirinhas especiais para o transporte de crianças.

Outro lado
G1 procurou a General Motors e a Renault. A GM afirmou por e-mail que não vai comentar o assunto. Já a Renault respondeu com a seguinte declaração:

“O Novo Clio foi testado sem airbag. Esta configuração corresponde à regulamentação em vigor nos mercados onde é vendido, já que as regulamentações sul-americanas ainda não exigem o air bag. A partir de janeiro de 2014, todos os Novo Clio serão comercializados com air bag para o condutor e passageiro.

O Novo Clio cuja versão foi testada pelo LatinNcap tem um nível de segurança igual e até mesmo superior àquele de seus concorrentes diretos no segmento (Peugeot 207 Compact, VW Gol Trend 1.6, Fiat Palio ELX, 1.4 Chevrolet Celta, Ford KA Fly Viral, Chevrolet Corsa Classic e Fiat Novo Uno). Todos estes modelos, testados em 2012, obtiveram 1 estrela nos resultados LatinNcap. O novo processo mais rigoroso do teste LatinNCAP fez com que o Novo Clio, testado em 2013, não obtivesse nenhuma estrela. Se nos baseássemos no protocolo do LatinNCAP em vigor em 2012, o Novo Clio teria obtido 1 estrela, assim como os seus concorrentes do mesmo segmento.”

O Latin NCap ficou mais rígido nos casos em que cabeça, pescoço ou peitoral dos bonecos que representam adultos recebem avaliação vemelha, que significa “pobre”. Até o ano passado, os carros testados que tinham esse tipo de resultado levavam uma estrela. Agora, levam zero.

Mais carros testados
Também foi testado um Nissan Sentra testado, que recebeu nota zero tanto para o trasporte de adulto quanto para o de criança, mas trata-se de uma versão antiga, que não é vendida no Brasil. Além dele, foram avaliados modelos Suzuki e Seat que também não são comercializados no país.

Deixe aqui seu comentário

comentários

Parceiros