A ‘novela’ dos radares

Acritica – Manaus deve completar mais de um ano sem contar com o funcionamento das lombadas eletrônicas, equipamento que auxilia na prevenção de acidentes de trânsito. De acordo com informações do Instituto Municipal de Trânsito (Manaustrans), a previsão é de que os radares comecem a detectar infrações somente em junho deste ano.

O contrato com a empresa responsável pela instalação dos equipamentos, a Consladel, termina em março deste ano e pode ser prorrogado por mais um ano. A empresa, contratada por R$ 90 milhões, em março de 2009, já recebeu, até setembro do ano passado, um montante de mais de R$ 9,1 milhões.

Os radares eletrônicos, conhecidos como “corujinhas”, foram desativados das ruas de Manaus em abril do ano passado. Desde então, foram instaladas uma lombada na rua Maceió, uma na avenida São Jorge, Zona Oeste, e outra na Ephigênio Sales, Zona Centro-Sul. Outras três foram instaladas em novembro na avenida Governador José Lindoso, conhecida como a Avenida das Torres.

Todos estão operando, mas ainda não vêm emitindo notificações porque a prefeitura ainda não instalou a Centro de Controle Operacional dos equipamentos. A central deve funcionar na avenida Darcy Vargas e, segundo a Manaustrans, ainda não há previsão para começar a funcionar. O local deve ser operado por técnicos contratados pela prefeitura e não por pessoas contratadas pela Consladel, segundo informações do Manaustrans.

O instituto espera até junho, instalar, no total, 30 que detectam excesso de velocidade e outros 30 que devem emitir imagens de carros que avançam o sinal vermelho e param em faixas de pedestres. A central deve reunir todas as informações dos equipamentos para emitir as multas.

Além dos radares já instalados, outros 11 estão com sua localização definida. Os locais são: na Zona Centro-Sul – na avenida André Araújo esquina com a avenida Umberto Calderaro, avenida Constantino Nery com rua João Valério e o cruzamento entre as avenidas Álvaro Botelho Maia e Major Gabriel;  na Zona Sul – haverá um no cruzamento das avenidas Carvalho Leal com Castelo Branco; na Zona Norte – na avenidas Max Teixeira e Noel Nutels, e, na Zona Leste em pontos da Avenida Cosme Ferreira. Os equipamentos podem ser transferidos de local, conforme os estudos de trânsito detectar melhoras nos pontos onde estão instalados, conforme legislação de trânsito.

Manaus deve completar mais de um ano sem contar com o funcionamento das lombadas eletrônicas, equipamento que auxilia na prevenção de acidentes de trânsito. De acordo com informações do Instituto Municipal de Trânsito (Manaustrans), a previsão é de que os radares comecem a detectar infrações somente em junho deste ano.


O contrato com a empresa responsável pela instalação dos equipamentos, a Consladel, termina em março deste ano e pode ser prorrogado por mais um ano. A empresa, contratada por R$ 90 milhões, em março de 2009, já recebeu, até setembro do ano passado, um montante de mais de R$ 9,1 milhões.


Os radares eletrônicos, conhecidos como “corujinhas”, foram desativados das ruas de Manaus em abril do ano passado. Desde então, foram instaladas uma lombada na rua Maceió, uma na avenida São Jorge, Zona Oeste, e outra na Ephigênio Sales, Zona Centro-Sul. Outras três foram instaladas em novembro na avenida Governador José Lindoso, conhecida como a Avenida das Torres.


Todos estão operando, mas ainda não vêm emitindo notificações porque a prefeitura ainda não instalou a Centro de Controle Operacional dos equipamentos. A central deve funcionar na avenida Darcy Vargas e, segundo a Manaustrans, ainda não há previsão para começar a funcionar. O local deve ser operado por técnicos contratados pela prefeitura e não por pessoas contratadas pela Consladel, segundo informações do Manaustrans.


O instituto espera até junho, instalar, no total, 30 que detectam excesso de velocidade e outros 30 que devem emitir imagens de carros que avançam o sinal vermelho e param em faixas de pedestres. A central deve reunir todas as informações dos equipamentos para emitir as multas.


Além dos radares já instalados, outros 11 estão com sua localização definida. Os locais são: na Zona Centro-Sul – na avenida André Araújo esquina com a avenida Umberto Calderaro, avenida Constantino Nery com rua João Valério e o cruzamento entre as avenidas Álvaro Botelho Maia e Major Gabriel;  na Zona Sul – haverá um no cruzamento das avenidas Carvalho Leal com Castelo Branco; na Zona Norte – na avenidas Max Teixeira e Noel Nutels, e, na Zona Leste em pontos da Avenida Cosme Ferreira. Os equipamentos podem ser transferidos de local, conforme os estudos de trânsito detectar melhoras nos pontos onde estão instalados, conforme legislação de trânsito.

Leia mais em Acritica.com

Deixe aqui seu comentário

comentários

Parceiros